Menu

Envolvidos no caso de cyber bullying ocorrido em Quixeramobim dão suas versões do fato em reportagem exclusiva ao SMC

A reportagem do Sistema Maior de Comunicação conversou com os envolvidos no caso de bullying virtual que repercutiu toda essa semana, inclusive no noticiário nacional. Acompanhe essa matéria exclusiva que deu espaço para ambas as partes se manifestarem sobre o episódio ocorrido.

De acordo com Paulo, ele e a esposa estavam em um grupo do WhatsApp quando receberam a imagem de uma moça deficiente. Patrícia publicou a foto achando que se tratava de uma imagem manipulada, sem saber que a vítima residia em Quixeramobim. A postagem acabou tomando uma proporção que eles não esperavam, até porque, segundo eles, outras pessoas já haviam postado a foto antes.

O casal afirmou não  saber que a jovem da foto tinha deficiência e que nunca teriam postado a imagem se soubessem. Segundo Paulo e a esposa, ambos só tomaram conhecimento da situação quando a irmã da vítima postou a publicação deles. 

Segundo eles, ninguém os procurou para esclarecer a história ou pediu para excluir o post. Logo que tomaram conhecimento, excluíram a publicação. Segundo eles, na mesma hora procuraram a irmã da moça para se retratar e explicar o acontecido. “A Polícia foi no meu trabalho, procurando meu endereço. Quando soube, já fui à Delegacia me apresentar. Dias depois fomos prestar depoimento. Minha esposa acabou de ter filho e mesmo assim demos um jeito e ela foi até lá dar o depoimento”, disse Paulo.

“Estamos recebendo ameaças, inclusive, o meu irmão que não tem nada a ver com a história. Estamos presos em casa porque as pessoas olham estranho e ameaçaram de bater na Patrícia, minha esposa, falando que ela não tinha amor ao bebê”. Paulo deixa claro que as ameaças não partem da moça e nem da família, e sim, de outras pessoas não ligadas à vítima. Segundo ele, a própria irmã da vítima divulgou um áudio em que ele pede para denunciarem a foto. Paulo diz que o áudio é autêntico e que fez isso, pois estavam expondo a sua imagem e de sua esposa.

“Vamos esclarecer a nossa parte. Realmente postamos, e entendo o que ela está passando. Se fosse com a gente também estaríamos na mesma situação, mas antes procuraríamos resolver com as partes e se não fosse resolvido, procuraríamos a justiça. As pessoas que conhecem a gente sabem que nós não somos monstros como está sendo divulgado”, defende-se.
Rose, irmã da vítima, contou a reportagem do Sistema Maior de Comunicação que ficou sabendo da publicação por meio da filha da vítima, que mandou a foto para ela pedindo ajuda, pois estavam fazendo chacota da sua mãe. Quando abriu a imagem, Rose não entendeu do que se tratava, então foi olhar o perfil no Facebook de Patrícia e logo viu os comentários maldosos. A partir daí, fez prints da publicação e postou no seu perfil no Facebook.

A publicação tomou uma proporção gigantesca e logo repercutiu. Ela conta que depois de ter publicado recebeu uma mensagem do Paulo pedindo para retirar a publicação. “Eu disse que só iria fazer o que a justiça mandasse”, conta ela. No mesmo dia, vários amigos do casal denunciaram a postagem de Rose, que acabou sendo bloqueada do Facebook por 24 horas e  posteriormente teve a publicação excluída. Rose conta ainda que recebeu uma mensagem de um perfil duvidoso, fazendo ameaças a ela e a família. A Polícia já está investigando a autoria do perfil.

Rose levou o caso à Polícia, que já está procurando todos os envolvidos no caso, inclusive pessoas de outros estados. A mesma recebeu ligações de alguns advogados que queriam cuidar do caso, além de ter recebido muitas mensagens de pessoas indignadas que estão mostrando apoio à vítima e à família. O advogado Romulo Filho é quem está tomando conta do caso. Entramos em contato com ele para saber como está o desenvolvimento do processo. “A moça foi vítima de injúria, tem a pena aumentada por conta da deficiência e já se documentou tudo, a petição está sendo concluída e até segunda-feira vou estar ingressando”, disse o advogado.

“Minha irmã ficou muito abalada, não queria nem sair de casa com vergonha, além de ter sido necessário aumentar as medicações que ela já tomava". Rose tem muitos áudios, imagens e conversas que foram feitas sobre o caso. "Nós da família estamos indignados e queremos justiça”, disse.

Chegou até o Sistema Maior de Comunicação a notícia de que Rose e sua irmã teriam sido convidadas a participarem do Programa “Encontro com Fátima Bernardes”. “Recebi ligação da produção do programa da Fátima Bernardes, convidando a gente para ir até o programa ou tentar uma conversa via Skype. Nós aceitamos o convite e estamos aguardando o retorno da produção”, informou Rose.

Postado por: Jornalismo - Sistema Maior de Comunicação