Menu

ACERTO DE CONTAS? - Corpo de golpista é encontrado com marcas de tiros em um carro na BR-020, em Caucaia

Equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) foram acionadas, no começo da manhã desta quinta-feira (16) para mais um local de crime na Região Metropolitana de Fortaleza. Ao chegar ali, se depararam com o cadáver de um homem dentro de um carro. A vítima tratava-se de um dos bandidos mais famosos no noticiário policial da Imprensa cearense no fim dos anos 90 e começo de 2000.

Era o  estelionatário e quadrilheiro Márcio Ricardo Soares da Rocha, o “Márcio Coleguinha”, que integrou uma facção criminosa conhecida como a “Gangue do Malote”. O bandido era também “cartãozeiro”, isto é, especialista na clonagem de cartões bancários e de crédito.

O assassinato de “Coleguinha” é um mistério a ser desvendado pelas autoridades. O cadáver dele foi encontrado no interior de um carro em uma estrada de terra nas margens da BR-020, próximo à entrada do Conjunto Nova Metrópole, em Caucaia.  Era por volta de 5 horas quando a Polícia Militar foi acionada para a ocorrência. Patrulhas do 12º BPM e do Ronda do Quarteirão compareceram ao local.
 
“Márcio Coleguinha” estava na direção do veículo e apresentava, pelo menos, um ferimento à bala no peito. No local foi encontrada uma cápsula de bala de calibre 380. Depois da perícia, o corpo foi encaminhado à Coordenadoria de Medicina Legal (Comel). A Polícia não conseguiu arrolar testemunhas do assassinato. Há suspeitas de um provável “acerto de contas”.

Gangue do Malote

A quadrilha, que ficou conhecida como “Gangue do Malote”, agiu durante pelo menos dois anos no Ceará e foi desarticulada num trabalho de  Inteligência realizado pela Polícia Civil, através da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), na época chefiada pelos delegados Francisco Cavalcante e Alexandra Medeiros.

O grupo roubava malotes bancários e “lavava” os cheques através de um processo químico em que os dados preenchidos pelo dono eram alterados. Depois, já com Valores e nomes alterados, tais cheques eram depositados na conta bancária de “larajas” da quadrilha.
A “Gangue do Malote” tinha como um de seus chefes o radialista Wellington Braga. Também encabeçavam o grupo o próprio “Márcio Coleguinha”; seu tio Fernando Alfredo Braga Weyne; além de Maria Rozélia Henrique da Silva, namorada de Wellington e presa no Piauí em 2002.

Foragido 

“Márcio Coleguinha” aplicou golpes com sua quadrilha não apenas no Ceará, mas em vários outros estados brasileiros. Em 30 de setembro de 2012 ele foi preso num trabalho da Coordenadoria de  inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Coin/SSPDS), com o apoio do BPRaio, na Avenida Sargento Hermínio, em Fortaleza. Na época existia contra ele um mandado de prisão preventiva em aberto, decretada pela Justiça do Rio de Janeiro, onde a quadrilha também praticava roubos e golpes e fazia a ‘lavagem’ do dinheiro.

Por FERNANDO RIBEIRO
Wesley Safadão é acusado de dar calote de R$ 1,5 milhão - Site Miséria ©
Leia mais em: http://www.miseria.com.br/?page=noticia&cod_not=173345
Para replicar nossas matérias preencha o formulário de parceria em http://www.miseria.com.br/parceria.php

Se você já é um parceiro cadastrado faça o seu login no link Acessar como Parceiro no rodapé da página (abaixo dos dados de contato)
Wesley Safadão é acusado de dar calote de R$ 1,5 milhão - Site Miséria ©
Leia mais em: http://www.miseria.com.br/?page=noticia&cod_not=173345
Para replicar nossas matérias preencha o formulário de parceria em http://www.miseria.com.br/parceria.php

Se você já é um parceiro cadastrado faça o seu login no link Acessar como Parceiro no rodapé da página (abaixo dos dados de contato)