Menu

DESGOVERNO - Conselho Penitenciário revela situação de descontrole e superlotação nas cadeias cearenses


Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (15), representantes do Conselho Penitenciário do Estado Ceará  confirmaram a situação de precariedade e descontrole do Sistema Carcerário cearense.  Cadeias públicas estão em situações de superlotação e risco á exemplo do que ocorre nas penitenciárias, presídios e casas de privação provisória da liberdade (CPPLs).
Segundo dados do Conselho, cerca  de 25 mil presos formam, atualmente, a massa carcerária do Ceará, sendo a maioria presos provisórios, isto é, aqueles que ainda aguardam julgamento pela Justiça Estadual.
Na Cadeia Pública de Aracati, por exemplo, a unidade que tem capacidade para 40 presos, hoje conta com 159 detentos e já teve 170, segundo informações do conselheiro Luiz Carlos Oliveira Júnior, representante da procuradoria Geral da República na entidade.  Todos são do regime fechado e ocupam sete celas. Já em Beberibe, que também pode comportar 40 internos, estão lá 89.
Visita
Ainda na manhã de ontem, o Conselho Penitenciário teve que deslocar um representante para uma visita, junto com membros de outras entidades, a um dos presídios da Grande Fortaleza.  
Segundo a presidente da entidade, promotora de Justiça Camila Gomes Barbosa, a reclamação veio de advogados que informaram estar sendo impedidos de ingressar na CPPL Um, para ali manterem contato com seus clientes presos.  Camila informou que a situação caracteriza uma violação grave ao direito do preso e ao próprio exercício da advocacia.
Já o representante da Coordenadoria do Sistema Penitenciário (Cosipe), Augusto César Coutinho, admitiu que a denúncia tem  veracidade, mas que a situação estará regularizada já no começo da próxima semana.
Por FERNANDO RIBEIRO