Menu

Delegado é assassinado após reagir a roubo na Maraponga

 Um delegado da Polícia Civil foi morto com um tiro na manhã desta terça-feira, 15, após reagir a um assalto quando chegava em sua residência com o filho e a nora, na Maraponga. Aldízio Ferreira Santiago, plantonista da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), estava desarmado e foi atingido no rosto, por volta das 11 horas, conforme a Polícia Civil.

O delegado voltava a pé da igreja com os familiares, que foram abordados por um casal de assaltantes em uma moto, na rua Noruega. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou que Aldízio tentou intervir, mesmo desarmado, e foi atingido pelo criminoso. 

A SSPDS divulgou que a dupla abandonou a moto utilizada no crime e roubou outra, próximo ao local. O veículo depois foi encontrado nas proximidades da comunidade conhecida como "Babilônia", no Barroso.  

A SSPDS esclareceu que trabalha, por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, para elucidar a morte e capturar os criminosos. "A SSPDS, juntamente com a Polícia Civil, lamenta profundamente a perda do policial, ao passo que se solidariza com seus familiares e amigos", completa a nota. 

O delegado, segundo informações dos familiares, deveria se aposentar no próximo dia 26 deste mês. O corpo dele foi levado pela Perícia Forense por volta das 12h40min.

Com a morte, sobe para 29 o número de profissionais de segurança pública assassinados neste ano, segundo dados da Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSMCE).

O último assassinato havia sido registrado nesse sábado, 12, quando o soldado Gilmar de Queiroz foi morto em um assalto, também em frente de casa, em Horizonte. As 29 mortes incluem 23 policiais militares, três policiais civis, dois agentes penitenciários e um policial rodoviário federal.